Conheça o pássaro romântico que constrói incríveis estruturas para seduzir a fêmea

| 8 de jan de 2014
O conceito de arquitetura nunca foi exclusivo para os seres humanos.

Os bowerbird, ou “pássaro pavilhão” masculino, são arquitetos incríveis, mas reservam suas habilidades para apenas uma finalidade - encontrar uma companheira. Eles constroem esses ninhos elaborados e deslumbrantes para impressionar as fêmeas – talvez eles pudessem ensinar aos homens, uma coisa ou duas sobre decoração.

Eles usam enfeites como moedas, pregos, folhas, cascas, sementes, flores e insetos vivos para tecer seus ninhos, chamados de caramanchões. Os bowers ou “pavilhões” são ninhos em forma de U construídos com galhos e grama, e atapetado com musgo. Cada pavilhão é uma maravilha arquitetônica que se estende de 5 a 6 metros de largura, com um telhado de palha e pilares de sustentação.

Azul é uma cor muito importante para os pássaros apaixonados no processo de construção; eles usam vários objetos azuis - canudos, flores, tampas de garrafas e cordões; tudo isso para atrais suas parceiras em potencial. Uma pesquisa mostrou que as fêmeas são atraídas para os caramanchões com o maior número de decorações azuis.

Como os objetos azuis são raros no ambiente de um “pássaro pavilhão”, um macho que é capaz de adquiri-los e protegê-los é considerado superior. Mas a concorrência é dura, e quem não tecer o ninho mais extravagante não garante uma companheira. Assim, os machos também prepararam uma dança elaborada como parte do ritual de acasalamento.

A exposição física frenética é apelidada de “buzz-wing-flips” ou “zumbido de asas”; ele começa afofando as penas, zumbidos e vocalizações, misturado com um monte de corridas para trás e para frente. Esta dança maníaca é realizada até quatro vezes para visualização e análise das fêmeas.

Com o uso de câmeras de vídeo, pesquisadores determinaram um processo de corte de três estágios. Na primeira fase, as fêmeas visitam os “bowers” quando o macho estiver ausente. Nesta fase, os machos com caramanchões assimétricos ou mal construídos, ou com um arranjo aleatório de itens azuis são geralmente desqualificados.

Boas habilidades de decoração se correlacionam com alta energia. Na segunda fase, as fêmeas retornam para os caramanchões que acharam mais impressionantes. Desta vez, os machos estão presentes e começam a executar o “buzz-wing-flips”. É importante para a fêmea que os machos dancem bem, porque acredita-se que a exibição física é o melhor indicador da qualidade do macho. Enquanto os ornamentos azuis sempre podem ser roubados, o “buzz-wing-flips” não pode ser falsificado. De acordo com Seth Coleman, doutorando em ecologia comportamental da Universidade de Maryland, "Só os machos em condição física superior são capazes de produzir performances vigorosas - Algo que machos doentes ou fracos não podem fazer".

Uma vez que as fêmeas fizeram uma segunda rodada de observações, elas vão embora por uma semana para construir seus próprios ninhos. Elas voltam para a terceira fase - uma revisão de vários desempenhos de apenas os candidatos mais promissores. Quando ela escolheu seu companheiro, a fêmea indica a sua satisfação com o sexo masculino com um arrulho suave. O acasalamento acontece dentro de alguns segundos. No entanto, outra geração de arquitetos vai nascer em breve.

Assim como nós seres humanos, o gosto dos “bowerbirds” fêmeas nos machos parece melhorar com a idade. Os pesquisadores observaram que as fêmeas mais jovens, que não têm experiência de acasalamento anteriores, ou apenas um único acasalamento, são surpreendidas pela rotina de “zumbido de asas”. "O retiro é tão apressado - muitas vezes pulando para cima e para fora do pavilhão - que não podem, eventualmente, ter algum tempo para avaliar o macho", disse Coleman.

Fêmeas mais jovens parecem escolher os machos, utilizando diferentes indicadores – como os ornamentos azuis. O primeiro estágio é o fim da história para eles, pois elas realmente não podem esperar as fases subsequentes. Mas as fêmeas com três anos ou mais de experiência são diferentes, se preocupam com os ornamentos físicos também.
É incrível, a quantidade de dedicação que um “bowerbirds” tem para a construção de seus ninhos. Suas exposições extravagantes são, em parte, resultado de fêmeas sendo mães solteiras que não precisam de homens para criar seus filhotes.

Os Bowerbirds também são bastante simples na aparência, que as telas coloridas parecem compensar. Assim, os machos dedicam suas vidas para a coleta e dispor dos tesouros para suas companheiras em potencial.


Com Informações de Jornal Ciência/R7
Visto em: , ,