O transtorno das manias

| 6 de jan de 2015
| Por Bruna Miranda

Você tem costume de lavar as mãos a todo o momento? Ou revisar a porta, o gás e o fogão por varias vezes antes de sair de casa? Preocupação extrema com sujeira ou limpeza? Alguns podem pensar que isso é normal e às vezes não se percebe, mas os excessos destas manias podem prejudicar o dia a dia de uma pessoa, ela pode ter TOC, Transtorno Obsessivo Compulsivo.

Quem explica melhor é o psicólogo Marcio Alves, “TOC é um transtorno mental que faz com que seu individuo seja refém dos seus próprios pensamentos, obrigando-o a fazer rituais compulsivos como, por exemplo, lavar as mãos com medo de alguma doença. O ritual ajuda a diminuir as ansiedades criadas pelo pensamento obsessivo”, diz. Os sintomas mais comuns são: conferir, medir, lavar, guardar, contar e a necessidade de fazer perguntas ou aceitar culpas imaginárias. “Isso atrapalha a vida impossibilitando seu desenvolvimento na realização das suas tarefas e dos seus compromissos”, alerta.

Estima-se que cerca de 3 milhões de brasileiros apresentem, a cada ano, sintomas que podem ser diagnosticados como TOC.

Daniela, 27, advogada, conta como é ter esse distúrbio. “Tenho mania de arrancar os fios de cabelo pela raiz, tento pensar que se eu não parar vou ficar careca, isso me incomoda. As pessoas mais próximas costumam me reprimir pelo ato, e as que não são tão próximas acham estranho e as vezes até comentam”. Daniela refere-se a isso como um sintoma de seu nervosismo, ansiedade.

O TOC está associado com o tique e a Síndrome de Taurette. O tique é um movimento involuntário e repetitivo dos músculos, e a Síndrome de Taurette é caracterizada por tiques, reações rápidas, espasmos ou vocalizações que ocorrem repetidamente com certa frequência.

Glacy Helena, 50, monitora de educação infantil, tem o tique de sentar e sem perceber cruzar as pernas e os pés começam a balançar rapidamente e só percebe quando sente os pés se cansarem. Ela não procurou ajuda médica, pois acredita que seja apenas por estresse ou ansiedade. A maneira que ela encontra para amenizar a situação é colocar os pés firmes no chão, mas dura pouco tempo. Isso a incomoda, assim como as pessoas com as quais convive. “Minha mãe vive chamando a minha atenção para parar com essa ‘mania’”, conta.

Observa-se que estas compulsões são voltadas para a área de limpeza, checagem, conferência, contagem, organização, simetria, colecionismo e pode evoluir com o tempo. O tratamento pode ser feito através de psicoterapia e medicamentos psicotrópicos. Veja algumas imagens que as pessoas que sofrem desse distúrbio não podem ver:

Clique na imagem para abrir a galeria











Visto em: ,