Estudantes fazem experimento de “troca de corpos” virtual

| 9 de mar de 2014
Sabe aqueles filmes em que duas pessoas trocam de corpo e, depois de muita confusão, uma consegue entender como a outra se sente? Um grupo de estudantes da UPF (Universidade Pompeu Fabra), de Barcelona, inventou um jeito de promover essa troca de corpos. Ou quase isso. O experimento foi feito com uma versão inicial do Oculus Rift, um aparelho ligado a câmeras e plataformas de computador que substitui sua visão pela de outra pessoa.


Durante a experiência, duas pessoas colocam o aparelho nos olhos e cada uma é instruída a fazer os mesmos movimentos da outra, em completo silêncio. “Lá no fundo você sabe que não é seu corpo, mas você sente como se estivesse em outro”, explica Philippe Bertrand, estudante de Artes Digitais e co-fundador do grupo BeAnotherLab.

Ao longo dos últimos meses, os alunos encontraram um diversificado grupo pesquisadores (de artistas a terapeutas e antropólogos) interessados no projeto. Por isso, o “The Machine to be another”, teste mais recente da equipe, foi focado em estudos de performaces artísticas para reabilitação neurológica.


Outros estudos (um pouco mais ambiciosos) sugerem que isso pode servir para reduzir ou até mesmo acabar com o preconceito de raça ou gênero, pelo simples fato de o ser humano poder entender o que o outro pensa e como se sente em relação ao próprio corpo. “É um cenário muito interessante”, diz Bertrand. “A ciência está provando alguns conceitos muito hippie, e nós estamos usando uma cabeça para aproximar as pessoas”.

Fonte: Superinteressante

Visto em: , , ,