Casos curiosos marcaram segundo turno das eleições pelo Brasil

| 27 de out de 2014
No Rio Grande do Norte, tiroteio na fila de votação resultou em morte de eleitor

Há muito mais coisas entre o eleitor e a cabine de votação do que supõe nossa vã filosofia. Pelo menos foi essa a máxima que se repetiu em algumas seções eleitores Brasil afora. De assassinato na fila de votação a selfie na cabine, passando pelas trapalhadas de mesários boêmios e eleitores com cobra tentando votar, veja o que aconteceu enquanto você confirmava seu voto:

Tecla com cola e presidente de seção preso em Goiás


Em Goiás, um eleitor passou cola em uma tecla da urna eletrônica, impedindo que ela fosse pressionada
Foto: TRE-GO / Divulgação

Um fato curioso marcou a votação em uma seção do município de Formosa, a cerca de 242 quilômetros de Goiânia, em Goiás. Um eleitor passou cola em uma tecla da urna eletrônica, impedindo que ela fosse pressionada. O fato só foi percebido pelo eleitor seguinte, ao entrar na cabine de votação. Ele comunicou o ocorrido aos mesários e a urna foi trocada.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Goiás, o eleitor que colou a tecla da urna já foi identificado e está sendo procurado pela Polícia Federal por prática de crime eleitoral.

Além disso, o presidente de uma das seções na Pontifícia Universidade Católica de Goiás, na capital do estado, foi preso esta manhã. Ele deveria estar no local por volta de 7h40min, mas só chegou às 11h para trabalhar. De acordo com o TRE, um juiz estava ali e mandou prender o presidente da sessão. Outro mesário o substituiu como presidente da seção e um eleitor que estava no local foi convocado para ocupar o posto de mesário.

Disparos e morte em fila de votação no RN


Um jovem de 20 anos foi assassinado na fila de votação de uma seção eleitoral na cidade de Mossoró, segundo maior colégio eleitoral do Rio Grande do Norte. Robson Diego de Moura Soares, conhecido como Robinho, foi morto a tiros por um homem, que fugiu do local após o crime.

Ocorreu tumulto na Escola Celina Guimarães no momento dos disparos, mas não houve outras vítimas. Segundo o relato de testemunhas, um homem entrou na escola, foi até a seção onde estava Robson Diego e fez diversos disparos. O jovem, que respondia a dois processos por porte ilegal de arma, morreu no local.

O secretário de Segurança Pública do RN, Eliéser Girão, disse que a vítima estava fugindo de uma perseguição:

"O crime podia ter ocorrido numa praça, na praia, em qualquer lugar, mas, infelizmente, ocorreu numa seção eleitoral. Não tinha como evitar", disse.

Após o episódio, as nove sessões de votação do colégio foram fechadas e reabriram depois de duas horas.

Incendiário, selfie na cabine e mesários embriagados em Minas



Apesar de a eleição transcorrer tranquila em Minas Gerais, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) registrou pequenos incidentes envolvendo eleitores. No mais grave deles, em Porteirinha, no Norte do estado, um eleitor ateou fogo em uma urna após jogar gasolina. A urna foi substituída sem perda de votos e o eleitor preso.

Flagrado por um fiscal em Belo Horizonte, um eleitor da mesma seção onde o candidato Aécio Neves (PSDB) votou pela manhã, na Escola Estadual Governador Milton Campos, foi obrigado a apagar um autorretrato (selfie) que tirou enquanto votava. Ainda em BH, um mesário foi trabalhar com sintomas de embriaguez e levado pela Polícia Federal.

Em Barbacena, a boemia também prejudicou mesários. Dois deles se envolveram em um acidente de trânsito e foram levados para delegacia "com sintomas de embriaguez".

Cobra barrada no interior de SP



Um fato inusitado chamou a atenção em Sorocaba (SP). Um eleitor levou consigo sua cobra de estimação, mas foi impedido de votar com o animal. O rapaz já havia entregue seus documentos quando policiais militares disseram que não poderia permanecer na seção eleitoral com o réptil. Ele, então, a entregou para uma amiga e só então pôde votar


Com informações do ZH e Cruzeiro do Sul
Visto em: , ,